domingo, 6 de dezembro de 2009

About Harley-Davidson!



O inventor da mota Harley-Davidson, Arthur Davidson, morreu e foi para o céu.

Ao chegar às portas do céu, São Pedro disse-lhe:
- Meu filho, como foste um bom homem e as tuas motas mudaram o mundo, o teu prémio é poderes encontrar-te com quem quiseres!

Artur pensou um pouco e depois disse:
- Quero encontrar-me com Deus!

São Pedro levou Artur até a sala do trono e apresentou-o a Deus.
Deus reconheceu Arthur e disse-lhe:
- Então foste tu que inventaste a Harley-Davidson?
Arthur respondeu:
- É verdade, fui eu ...

Deus então fez o seguinte comentário:
- Que grande coisa, inventar uma mota! É um veículo instável, faz muito barulho e poluição e não pode andar sem gastar gasolina!
Arthur ficou um bocado atrapalhado, mas uns minutos depois retorquiu:
- Desculpe-me mas não foi você que inventou a mulher?



- Sim, fui eu! - Respondeu Deus.
- Bem, aqui entre nós, de profissional para profissional, você também não foi nada feliz na sua invenção!
1º - Há muita inconsistência na suspensão dianteira;




2º - É muito barulhenta e tagarela em altas velocidades;



3º - Na maioria dos casos, a suspensão traseira é muito macia e vibra demais;



4º - A área de diversão está localizada perto demais da área de reciclagem;

(Onde foi parar este boneco? Era feio não era?)

5º - Os custos de manutenção são exorbitantes! !!!



Deus ficou a pensar e depois disse:
- Podes ter bons argumentos, mas espera um pouco.

Deus foi até ao super-computador celestial, digitou algumas palavras e esperou que a super-impressora imprimisse o resultado:
- Sim, é verdade que o meu invento tem defeitos, mas de acordo com estes resultados, há muitos mais homens montados na minha invenção do que na tua!

2 comentários:

Artur/Leiria disse...

D. Carlos/Timoneiro!
As fotos não as consigo abrir ainda, provavelmente é o meu com(putas) que está em estado de greve! Muito trabalho e pouco dinheiro, talvez, ou está na Praça da Fome, como o dono, que anda sempre à procura da Praça da Alegria que só se encontrará num dia da Lua Azul, lá para os lados do Tio Nunca. Contudo, jamais mas porém; fico à espera do dia, em que as galinhas vão ter dentes... se é que me faço entender, claro.
Caramba… detesto brincadeiras!
Por hoje, abraços de rachar costela pá!

TINTINAINE disse...

Faz uma actualização do Adobe Reader que tens no teu computador que deve resolver o teu problema.